Roberto Motta de Macedo

Foi um espírita convicto, por vários anos participou como membro do Grupo Ismael da Federação Espírita Brasileira. Pronunciou muitas conferências públicas sobre temas espíritas, sempre apreciadas, quer pelos conhecimentos doutrinários, quer pela erudição do orador. Na vida pública dedicou-se principalmente ao magistério e ao jornalismo. Foi professor de História Geral no Colégio Pedra II e no Instituto de Educação e em estabelecimentos particulares, sempre respeitado e querido pelos colegas de magistério e pelos seus alunos. Como jornalista, colaborou em vários jornais, entre eles o “Correio da Manhã”, onde manteve coluna, durante anos, versou temas históricos, principalmente sobre a história do Rio ele Janeiro, “ele que foi um dos elos mais renomados cultores”. Exerceu o cargo de diretor do Departamento de História e Documentação do, então, Distrito Federal (RJ). Deixou rica bagagem de obras sobre a História pátria, além de muitos artigos, simplesmente assinados. Parece que Roberto Macedo deixou publicada apenas uma obra de caráter espírita, Vocabulário, editado pela Federação Espírita Brasileira em 1960, e no qual são estudados vocábulos históricos e geográficos colhidos nos cinco monumentais romances elo Espírito Emmanuel, romances psicografados por Francisco Cândido Xavier. (Fonte: MACEDO, Roberto. Vocabulário: histórico – geográfico dos romances de Emmanuel.)