Antônio Lima

Nascido na capital do Rio de Janeiro no dia 30 de março de 1864, Antônio Lima foi um dos pioneiros do Espiritismo no estado. Em 1904, a Federação Espírita Brasileira publicava os livros da Codificação, traduzidos por ele, em edição especial, comemorativa do primeiro centenário do nascimento de Allan Kardec. Escritor, jornalista e grande expositor da Doutrina, deixou uma vasta bibliografia espírita e não – espírita, além de várias traduções do francês, do inglês e do espanhol. Entre os seus livros, constam: Belos, Flores Fanadas e Canto do Cisne (versos), Epopéia da Natureza (episódio lírico), O Coração de Jesus (poema evangélico), A Cruzada Redentora, composta de três romances:A Caminho do Abismo, Senda de Espinhos e Estrada de Damasco (um encadeamento de vidas sucessivas, valorizou a reencarnação com Justiça Divina), e ainda A Sonâmbula e A Vida de Jesus. Colaborou com toda a imprensa espírita da época, sendo um dos expositores mais solicitados. Possuía a mediunidade intuitiva e dizia que todos os seus livros vieram pelas vias da inspiração, porém, não identificou o autor ou autores espirituais e, por essa razão, assinou todos os livros. Quase aos 80 anos de idade, tomou a iniciativa de fundar a Sociedade Editora dos Livros de Allan Kardec (SEAL) com a finalidade de baratear o custo dos livros básicos do Espiritismo. Sua desencarnação se deu no dia 26 de março de 1946, faltando apenas quatro dias para completar 82 anos de idade. (Fonte: Lucena, Antonio de Souza. Pioneiros de uma nova era. CELD)